ENTREVISTA

Sócio da AllierBrasil fala sobre questões nacionais e internacionais do mercado de defensivos


FlavioHirata

Flavio Hirata é engenheiro agrônomo pela ESALQ/USP e sócio da AllierBrasil. Ele tem divulgado o agro brasileiro desde 1999 através de palestras para mais de 6.500 profissionais de diversas partes do mundo; organização de eventos no Brasil, China e Índia.

AllierBrasil é uma empresa de consultoria no agronegócio especializada em registro de defensivos agrícolas, desenvolvimento de parcerias fabricantes/distribuidores, e acesso ao mercado.

É organizadora dos eventos internacionais Brasil AgrochemShow e Forum AllierBrasil.

1. Neste ano, o já bem conhecido evento sobre o mercado de defensivos AgrochemShow está ocorrendo de forma diferente por conta da Covid-19, realizado online. Como está sendo o formato deste ano em comparação aos anos anteriores em relação ao público e também aos palestrantes?

O AgrochemShow online está sendo um sucesso em relação ao número de expositores e visitantes. Surpreendeu bastante, pois não esperávamos uma adesão tão grande num momento difícil.

As palestras abordam assuntos atuais sobre registro de defensivos agrícolas, legislação, situação na China, ferrugem da soja, entre outros.

Com participantes de todos os continentes, as palestras são gravadas em 3 idiomas (português, inglês e mandarim), o que facilita ao visitante de assistir às palestras em qualquer horário, minimizando as dificuldades relacionadas ao fuso horário.

Considerando que ainda teremos uma semana de evento, está previsto postarmos mais palestras nos próximos dias. Aproveitem.

2. Quem é o público do evento do AgrochemShow? Segundo a agenda, o evento estará no ar até dia 30 de novembro. Como os interessados podem participar?

Por ser um evento online, possibilita a participação de visitantes de todas as partes do mundo, literalmente. São eles representantes de empresas de fertilizantes, maquinário, agroquímicos, consultorias, laboratórios, agências governamentais, advocacia e pesquisa.

Aos interessados em participar do evento, as inscrições devem ser feitas através do site www.agrochemshow.com.br . É cobrado cestas básicas que serão doadas para instituição de caridade ao final do evento.

Também através de doação de cestas básicas, o Brasil AgrochemShow organizou juntamente com a AllierBrasil uma campanha no primeiro semestre em solidariedade às vítimas da COVID. Foram arrecadadas 6 toneladas de alimentos, que foram doadas a uma comunidade carente em Osasco. Quero agradecer mais uma vez a todos que colaboraram.

3. A Covid-19 impactou fortemente na demanda por defensivos devido às incertezas no mercado mundial. Com sua experiência no mercado chinês, como você vê a retomada da demanda e como a China está se posicionando depois de todo o processo de reestruturação na indústria que passou nos últimos anos?

As ações para o combate da COVID na China foram drásticas. Por este motivo, pode-se dizer que, nas condições de pós pandemia, o suprimento se mante estável, com algumas exceções, não havendo falta de produto por parte dos fabricantes chineses. Houve até um leve aumento do consumo interno. Por outro lado, houve uma queda no consumo internacional como consequência da COVID, o que resultou numa queda dos preços. Outrossim, dentre os vários setores da economia global, pode-se dizer que o agro, e toda a cadeira produtiva como um todo, tem se destacado positivamente.

4. O número de registros de produtos formulados no Brasil este ano tende a ser maior que no ano passado, segundo dados do MAPA. Isto deve ser uma tendência para os próximos anos? Como as fabricantes chinesas estão se posicionando em relação a essa elevação no número de registros para aumentarem sua participação no mercado nacional?

O número de registros aprovados está diretamente relacionado ao número de pleitos de registros solicitados/ano. Em levantamentos realizados pela AllierBrasil, as aprovações de registros de produtos formulados em 2018 e 2019 demandaram 6 anos ou mais em 70% dos casos.

Tipo de registroAprovação – 6 anos ou mais
Número de aprovações(2019)%
Produto Técnico Equivalente10353,4
Produto Formulado baseado em Produto Técnico Equivalente10470,3

É fato que mais registros estão sendo pleiteados, e mais empresas estão interessadas no mercado local de agroquímicos. E neste contexto que as empresas chinesas e indianas têm se destacado. Em outro levantamento elaborado pela AllierBrasil, 90% dos produtos técnicos aprovados em 2019, tinham fabricantes chineses como fornecedores.

Dados mais detalhados podem ser vistos nas palestras no Brasil AgrochemShow.

5. Neste contexto, podemos ter preços mais competitivos no mercado nacional nos próximos anos com o maior número de fornecedores?

Apesar de poucas empresas deterem mais de 80% do mercado de defensivos agrícolas, a entrada de players com produtos genéricos resultou em mais competitividade e na redução dos preços dos produtos que competem com os produtos genéricos. Margens de 100% e até 1.000% ficaram no passado. Estas foram reduzidas, beneficiando o usuário – o produtor rural, que por sua vez compete com produtores em nível internacional.

Por outro lado, os preços de produtos que têm 3-4 marcas de genéricos disponíveis no mercado, já estão num patamar de preços bastante competitivo. Não acredito ser saudável ao mercado em levar os preços a níveis tão baixos de tal forma a reduzir a competitividade dos elos da cadeia de distribuição. Isto porque qualquer fato negativo poderia levar a um colapso com efeito dominó, sobretudo e tão somente dos players que atuam no mercado de produtos genéricos.

Fonte: Equipe GlobalCropProtection, 23/11/2020

Fonte da imagem: Imagem de Jan Amiss por Pixabay

 

 

Tags

Notícias Relacionadas

Close