USO E APLICAÇÃO

Aumenta procura por defensivos para a safra de inverno de 2022


De acordo com o especialistas do agronegócio, o cenário atual indica que não faltará defensivos para a safra 2022/2023. Isso porque o Brasil responde por 20% do mercado global de defensivos e é suprido em grande parte por importações – que correspondem entre 70% a 75% da demanda interna.

Ainda estão sendo registrados atrasos na entrega de matérias primas, mas a expectativa é que haja tempo suficiente para recompor a produção para o início da safra de verão (1ª safra 2022/2023) e não há motivo para receio de falta de produto na próxima temporada.

Também está ocorrendo maior procura por defensivos para a safra de inverno de 2022, especialmente para o trigo, cuja área cresceu 20% na comparação com a temporada passada. Sobre o herbicida mais usado no Brasil, essencial na dessecação pré-semeadura, o glifosato está ingressando normalmente, sendo que 95% das aquisições brasileiras são provenientes da China.

Até o final de julho a estimativa é que 70% do total de defensivos necessários para tratamento da produção da safra 2022/2023 já estejam no Brasil.

 

Fonte: AgroLink, 28/07/2022

Fonte da Imagem: br.freepik.com

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja