MERCADO

China aumenta inspeção de defensivos e atrasa embarques


A inspeção casual em produtos químicos perigosos para exportação conduzida pela autoridade alfandegária chinesa aumentou substancialmente, onde a frequência da inspeção é excessivamente alta, embora seja mais demorada e rigorosa. Isso leva a atrasos na declaração alfandegária de defensivos agrícolas, o que pode atrasar o cronograma de embarque e a temporada de aplicação de defensivos nos mercados de destino no exterior, resultando também em aumento de custos para os exportadores. 

Até agora, algumas das empresas enviaram feedback as administrações competentes e associações industriais, na esperança de que a autoridade aduaneira simplifique o processo de inspeção casual e reduza os encargos para as empresas. 

De acordo com o Regulamento de Controle de Produtos Químicos Perigosos da China (Decreto do Conselho Estadual nº 591), a autoridade alfandegária é responsável pela inspeção casual na importação e exportação de produtos químicos perigosos, incluindo embalagens. No momento da inspeção, um processo de amostragem e teste é imposto aos exportadores de pesticidas, o que é demorado e incorre em custos adicionais, especialmente em formulações de pequenas embalagens.

Houve casos em que a declaração de uma empresa de defensivos agrícolas para exportação de um mesmo produto passou 3 vezes por inspeções, que levaram quase 3 meses para serem despachadas. Enquanto isso, as taxas de laboratório resultantes, atrasos de contêineres e reprogramação de navios excederam em muito o orçamento. Além disso, como os defensivos são produtos sazonais, devido ao atraso na fiscalização, a chegada aos mercados de destino também atrasou. Juntamente com as recentes mudanças nos preços de mercado, os produtos podem não ser vendidos em tempo hábil, o que gera risco comercial para compradores e vendedores. 

 

Fonte: AgroPages, 26/11/2021

Fonte da Imagem: dendoktoor – Pixabay

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja