MERCADO

CCFI tem trabalhado para tornar a Índia um centro de manufatura para agroquímicos


A Índia hoje é o quarto maior fabricante de agroquímicos, com 75% das empresas membros da Crop Care Federation of India (CCFI) investindo grandes quantias, envolvidas na fabricação direta de produtos técnicos e intermediários. Ao longo dos anos, o crescimento tem sido tal, que a Índia está exportando mais de  300 bilhões de Rupias em pesticidas, para mais de 130 países que atendem aos padrões globais, disse o Dr. Ajit Kumar, chefe do comitê técnico do CCFI durante o INAE Engineers Conclave 2021.

Ele informou que a situação na China está piorando à medida que muitos fornecedores de matéria-prima foram parados. Além disso, muitas províncias chinesas introduziram cortes de energia, resultando em produção limitada. Todas as usinas consumidoras de energia operam com baixíssima capacidade para conter o CO2 no meio ambiente. “Este é o momento oportuno para atrair grandes investimentos para a Índia”, acrescentou Kumar.

A apreensão também é expressa sobre a qualidade, por conta de materiais com data de validade expirada, que não foram amostrados ou testados durante a importação. Os comerciantes estão conseguindo trazer grandes quantidades para revenda, embora seja obrigatório que as importações sejam apenas para consumo próprio. Portanto, a importação de formulações sem registro técnico devem ser interrompidas.

A proposta de banir 27 defensivos é um grande obstáculo para a indústria agroquímica indiana. Destas, 17 moléculas estão sendo defendidas, uma vez que esses produtos têm sido usados ​​por décadas, considerados eficazes e fabricados nacionalmente, correspondendo a todos os parâmetros de qualidade. A proibição privaria os agricultores de mais de 130 formulações que são experimentadas, testadas e aceitas pela comunidade agrícola.

Por último, outro aspecto que assola a indústria indiana é a implementação do Projeto de Lei para Gestão de Pesticidas 2020 (PMB2020), que visa principalmente criminalizar as operações comerciais contrárias à política governamental de facilidade de fazer negócios. “Estamos confiantes de que o Comitê Permanente de Agricultura revisará todos esses aspectos antes de ser aprovado por ambas as Casas do Parlamento”. disse Kumar.

“Nós, os membros do CCFI, apreciamos a iniciativa vital tomada pelo primeiro-ministro em direção à construção da nação, focando em alcançar a autossuficiência por meio da política Make in Índia. Certamente podemos competir com a China e ganhar liderança na fabricação de agroquímicos, uma vez que esta indústria estabeleça capacidades críticas de fabricação por meio da inclusão no esquema de incentivos vinculados à produção (PLI)”, Harish Mehta, consultor sênior, CCFI.

 

Fonte: Indian Chemical News, 29/10/2021

Fonte da Imagem: Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Tags

Notícias Relacionadas

Confira Também

Close
Close