NOVAS TECNOLOGIAS

Certificação de drones pela ANAC contribuem para avanço e futuro da tecnologia


As Certificações dos drones emitidas pelas agências regulatórias como a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil no Brasil são de extrema importância para a segurança e desenvolvimento do setor, além de contribuir com a profissionalização do mercado sendo fundamental para avanço e futuro dessa tecnologia.

De acordo com Lucas Florêncio, sócio de uma empresa de drones , a certificação é um dos grandes motores do avanço e disseminação das vantagens dos drones, que dá a sociedade garantias quanto aos riscos do uso do equipamento. “Além de ser um fator que impulsiona os fabricantes a efetivamente incorporarem soluções mais seguras para que os drones possam desempenhar determinadas funções”, pontua.

Para 2022, a grande novidade está atrelada a uma nova resolução, criada para Certificação dos drones de pulverização. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), assim como a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) têm avançado na publicação de regras específicas para operação de drones destinados à aplicação de defensivos, adjuvantes, fertilizantes, inoculantes, corretivos, sementes, etc. A ANAC aprovou em março, a Consulta Pública nº 5/2022, que simplifica as operações de aplicação realizadas com drones classe 2 (25 a 150 kg) a uma altura máxima de até 30 metros.

Desta forma, o agronegócio ganha segurança jurídica e ainda mais eficiência nas operações com aeronaves não tripuladas.  “O uso de drones na agricultura vem fundamentar este contexto de aplicação dando versatilidade, agilidade e sendo mais produtivo e barato. Além de retirar as pessoas do contato aos produtos químicos, reduzindo contaminação. Tudo isso, vai na direção de uso mais sustentável dos defensivos, melhores soluções para saúde humana e também uso mais eficiente e pontual”, explica Florêncio.

“Os drones para pulverização são a grande novidade no mercado de prestação de serviços, pois o ganho de produtividade é enorme, além de permitir mais precisão na aplicação do defensivo tanto na agricultura como na área florestal”, aponta o CEO Emerson Granemann.

 

Fonte: O Presente Rural, 25/04/2022

Fonte da Imagem: Pixabay

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja