NOVAS TECNOLOGIAS

Equipamentos com precisão ajudam o agro a usar defensivos de forma mais eficiente


Lidar com a inflação no preço dos insumos tem sido um dos grandes desafios dos agricultores neste ano. Para fazer frente a este aumento, produtores rurais apostam em equipamentos mais tecnológicos e com maior eficiência na aplicação de fertilizantes e defensivos.

Atualmente, o Brasil depende de mercados externos importando cerca de 85% de fertilizantes, de acordo com a Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA) e mais de 70% dos defensivos utilizados para a produção.

“A sustentação que o agronegócio tem oferecido para a economia do país se deve, em grande parte, às facilidades promovidas pela aplicação da tecnologia, no que tem sido chamado de agricultura 4.0 e agricultura de precisão. São máquinas e equipamentos cada vez mais eficientes que tornam possível o aprimoramento das tarefas produtivas agrícolas”, comenta Gustavo Micheli, gerente de negócios de adubação da Jacto.

A sobreposição é um problema no processo de pulverização que pode aumentar significativamente os gastos com defensivos químicos na lavoura.

Felizmente, já existem métodos sofisticados que controlam a aplicação eletronicamente, como o sistema de controle de abertura e fechamento automático bico-a-bico e o controle automático de seções, em que a pulverização é ligada e desligada automaticamente ao entrar na área, ao sair do talhão, e ao passar em algum ponto onde já houve uma aplicação.

Com essas tecnologias, a redução de sobreposição de área já tratada pode chegar em 50%, com redução de até 10% dos custos atuais em defensivos agrícolas.

Fonte: G1, 24/03/2022

Fonte da Imagem: Pixabay

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja