USO E APLICAÇÃO

Brasil e China negociam o reconhecimento mútuo de dados sobre pesticidas


Brasil e China negociam o reconhecimento mútuo de dados de registro de pesticidas, informa Carlos Goulart, diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). No final do mês de março 2022, Goulart representou o Brasil em reunião com representantes do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do gigante asiático. Confira a entrevista:

Em que estágio se encontra o entendimento entre China e Brasil para reconhecimento mútuo de dados de registro de agroquímicos?

O Memorando de Entendimento entre Brasil e China – prevendo o trabalho bilateral para estudar a viabilidade de reconhecimento mútuo de dados de registro de defensivos – ainda não foi assinado entre as partes.

Que temas foram abordados na primeira reunião do grupo de trabalho do Subcomitê Agrícola do Comitê de Coordenação e Cooperação de Alto Nível China-Brasil, realizado em 24/03/22?

A primeira reunião do Grupo de Trabalho de Pesticidas abordou o cenário geral de interdependência entre Brasil e China e a importância de se manter em alto e estreito nível de cooperação a troca de informações sobre produção e abastecimento de pesticidas.

Qual é a importância de simplificar o processo de registro e importação de agroquímicos da China para o Brasil?

O escopo do Grupo de Trabalho de Pesticidas entre Brasil e China é o intercâmbio e cooperação técnica de informações sobre a regulação aplicada no Brasil e na China, relativas à produção, comercialização, manejo e tecnologia de pesticidas.

Quais temas serão tratados na 2ª Conferência de Intercâmbio de Tecnologia de Manejo de Pesticidas China-Brasil?

A pauta de temas a serem tratados está em construção no momento.

Qual é sua expectativa sobre esse entendimento, e em quanto tempo poderia haver efeitos práticos?

A expectativa é ter um melhor entendimento e alinhamento do cenário atual e futuro da produção e do uso de pesticidas entre Brasil e China, promovendo ainda mais o acesso estável e sustentável desses insumos com benefícios mútuos aos dois países.

 

Fonte: Agro Link, Leonardo Gottems, 16/05/2022

Fonte da Imagem: br.freepik.com

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja