USO E APLICAÇÃO

Embrapa inaugura Estação Quarentenária em Brasília para reduzir introdução de novas pragas no país


A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), inaugurou na quarta-feira (24), a sua Estação Quarentenária, localizada na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília, DF. A estação é composta por um prédio com 4.643m² de área construída, sendo 2.951m² de laboratórios para análises de qualquer tipo de praga que possa correr o risco de entrar no território nacional, como insetos, ácaros, fungos, bactérias, nematoides, plantas infestantes e vírus.

A inauguração terá a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, do presidente da Embrapa, Celso Moretti, e de parlamentares que contribuíram, por meio de emendas nos últimos anos, para a construção da nova edificação.

A Estação Quarentenária compreende ainda três casas-de-vegetação e 11 laboratórios com mais de 200 equipamentos para análises de pragas. Possui sala-de-caldeiras, incinerador e salas para tratamento fitossanitário, desinfecção e destruição de material quarentenário.

“A quarentena de plantas abrange ações voltadas a prevenir a introdução e disseminação de pragas agrícolas e, por isso, é prioridade para a Embrapa desde a sua criação, na década de 1970”, afirma o presidente da Embrapa, Celso Moretti. Ele lembra que a entrada, em 2013, de apenas uma praga exótica, a lagarta Helicoverpa armigera, causou danos de cerca de 1,7 bilhão de dólares aos cofres nacionais.

As instalações foram projetadas conforme as regras de segurança exigidas pela Instrução Normativa nº 29/2016 do Ministério da Agricultura e receberam investimentos iniciais de R$ 10 milhões. No ano de 2019 houve a retomada da construção do prédio, quando recebeu R$ 800 mil reais de investimento da Embrapa e, no ano seguinte, a deputada federal Bia Kicis viabilizou, por meio de um termo de execução descentralizada (TED), recursos para a conclusão da estrutura, assegurando a ampliação dos serviços quarentenários em território brasileiro, a partir da integração das equipes da Embrapa com as do Serviço Quarentenário Nacional, da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa (SDA).

Existem atualmente cerca de 500 pragas quarentenárias oficialmente reconhecidas como ausentes no território brasileiro, que incluem insetos, ácaros, nematoides, fungos, vírus e bactérias, com uma característica comum: são exóticas, não existem no País e, por isso, não há formas conhecidas para combatê-las.

A Estação contribui, ainda, com a defesa fitossanitária do país respondendo a demandas técnicas do Mapa, como a revisão de normas internacionais de medidas fitossanitárias e apoio técnico na revisão da lista de pragas quarentenárias editada pelo Ministério.

A estrutura é composta ainda por autoclaves, sala de resíduos químicos, salas de apoio para as análises moleculares, recebimento e inspeção de materiais vegetais, separação de sementes, duas câmaras frias para armazenamento, área de apoio aos quarentenários para o preparo e guarda de substrato, adubos e defensivos utilizados no cultivo do material a ser quarentenado. O prédio ainda possui área para suporte administrativo e de apoio com salas de permanência, sala de reunião, arquivos, depósitos e sala de segurança.

 

Fonte: Defesa, 24/11/2021

Fonte da Imagem: Pixabay

 

 

Tags

Notícias Relacionadas

Close
Optimized with PageSpeed Ninja